big daddy «3»

Já a algum tempo que não pensava nisso. Não era tranquilidade, longe disso. Não posso explicar porquê. Mas eu sei que na minha forma de ver as coisas, faz t-o-d-a a diferença. É preciso atingirmos a maturidade, para descobrirmos factos que nos foram alheios em meninice. Que podia ter nos feito viver outra vida, chamar outras pessoas por outros nomes. E alimentar outros sentimentos. Felizes daqueles que têm uns pais maravilhosos, orgulhosos daqueles que vangloriam os seus progenitores e no fundo, eu sou uma amadora. Da curta-metragem que é o meu caminho. No lado de fora da minha vida.  Que eu pensava que era minha, que eu sabia qual era e que eu a escolhia.
Por mais que quisesse encarar isto com outros olhos, não consigo colocar os sentimentos de parte e descobrir a verdade. Enfrentar "o touro pelos cornos" (como se diz por aí e acolá). "Hoje nada sei, nada sou". Hoje nada fui, nada serei. Nem o meu sangue sei qual é, nem o bater do meu coração sei qual é. Não tinham o direito de me fazer ter estas dúvidas.  

1 comentário:

DanielaC disse...

E se há coisa que mais nos atormenta na vida é realmente ter duvidas ! :S