o medo



O medo é um perfume tão forte e demente,
deixa marcas para toda a vida.
Facilmente não sei separar o passado do presente,
e, o meu coração vai sempre reclamar a sua ida.

É constante,
inevitável e doloroso o cerco que se forma;
é o dilaceramento de um coração, a criação eminente de saltitante
de uma sensação permanente e perdida da toma.

O sentimento, a impressão e a sensibilidade concebida,
foca o realce de um anseio desconhecido,
de uma leitura sintetizada de pensamentos e da minha vida.
Porém, a conclusão é pouca e o pavor não é perdido.

O imperturbável medo, só ele o poderá destruir,
se quiseres... podia ser agora, e agora mesmo, e, imediatamente;
mas, a busca perdeu-se na espera e o regresso tende a não fugir
e a bolha de ar à volta, de indolência é extraviada e rigorosa na mente.

26 comentários:

Rita . disse...

foi mesmo, adorei as cataratas do niagara (:
p.s.: escreves MUITO bem *o*

O Profeta disse...

Tão triste nasceu hoje o Verão
Tão agreste sopra este colérico vento
Tão molhada está esta verde terra
Tão cinza está um coração em desalento

Mentem os que disserem que perdi a Lua
Os que profetizaram o meu futuro de luz
Mentem os que acharam que não me visto de sentimento
Os que acham que apenas a mentira seduz

Acolhi no olhar todas as coléricas vagas que alcancei
Abracei uma roseira e senti o golpe dos espinhos
Senti o aroma errante das hortênsias
Numa viagem por sete caminhos

Bom fim de semana

Doce beijo

Pérola disse...

O medo é necessário, mas não deve tolher-nos os movimentos e os pensamentos.

beijinhos, sem medos!

Eros disse...

Bela dissertação poética sobre os grilhões do medo.

Nix disse...

Lindo e muito verdadeiro!

Parede Escrita disse...

Adorei, muito bem! :)
Escreves lindamente!

Abraçar o Tempo disse...

Olá , começo por agradecer a tua visita no meu blog, obrigada.
Tenho que te dizer que tens um blog, bastante interessante, sem duvida.
muitos parabéns.
Adorei este "Medo", bastante sentido:)


catarina disse...

Que lindo *
Oh, obrigada princesa. Também eu :)

m. disse...

Minha nossa, que bonito! Deixaste-me perplexa.

Rita . disse...

de nada Lúcia (;

Rita . disse...

Ele merece desprezo, merece mesmo ... Mas ... Sei lá ... Ele durante alguns meses foi a minha vida ... :s

m. disse...

Eu vejo, está lindo!

Rita . disse...

Obrigada minha querida (:
Oq aconteceu contigo princesa ?
Vou seguir o teu tumblr (;

m. disse...

Não te desvalorizes.. Porque achas isso?

m. disse...

Sabes porque achas isso? Porque és tu a autora do lindo poema que ainda colocaste. Porque eu também não gosto dos meus textos e tu gostas!

Luana* disse...

Gosto tanto, é muito verdadeiro :) PS: Gosto mais deste design do blogue, adorei! Resp ao teu comentário: a "raça" dos peixes eu não sei, são aqueles normais cor-de-laranja, o aquário era dos normais, redondo, mudava a água todos os dias e acho que era disso, porque talvez o punha na água errada quando estava a mudar de água? ou então era a comida... eu acho que fazia tudo certo, bem, eu não, a minha mãe..

m. disse...

Tens algum texto meu como preferido?

Pedacinhos de mim disse...

Que perdeito este post. Falar de medo, de um medo que todos temos, que todos aprisionamos que, por vezes, nem nos deixa arriscar, avançar, seguir. Hoje li aqui um dos melhores post´s que já encontrei nesta blogoesfera. Gostei muito. Um Beijo :)*

m. disse...

Oh, muito obrigada! Estar nos três melhores é uma sensação mesmo boa e já nem peço mais do que isso, porque há ali um blog muito bom!
Eu adorei aquela quadra que colocaste num outro post. Eu até perguntei se era teu!

m. disse...

Adoro a maneira como esta rapariga escreve: http://writersfield.blogspot.pt/
Não sei, mas adorei. Não te sei explicar.

Pedacinhos de mim disse...

Claro que digo isso é mesmo verdade, e não sejas tão humilde, todos vêem que este post está muito bom. Um Beijo :)

m. disse...

Por isso mesmo, eu adoro simplicidade. Vai e depois diz-me se ela não escreve mesmo bem!

m. disse...

Ela não me deve perguntar nada, eu nunca a comentei. E eu nem sei porquê, porque gosto mesmo do que ela escreve.
Talvez porque eu falo de sentimentos e ela de assuntos da vida, da sociedade.
Não digas isso, eu adorei!

Marta Almeida disse...

Todas as fotografias são da minha autoria :) Obrigado pelo elogio *

m. disse...

Então se ela perguntar podes dizer que fui eu, não tem mal nenhum.
Vês?! Ela escreve muito bem!

m. disse...

E todas nós colocamos sentimentos no que escrevemos, não é? Mas eu acredito que também ela o faz, porque senão não tinha uma escrita tão boa!
Ai, e obrigada por tanto elogio. Saber que preferes o meu blog é muito bom!