Deixei de escrever. Deixei de saber. De saber o que te dizer. A tanto tempo que as palavras se perderam por onde fomos. Não demos pelo tempo passar e nunca nos questionamos sobre o que estávamos a fazer com o tempo que nos restava. E esse tempo acabou. O tempo levou. A vida levou. Só percebes-te depois. Tarde. Nas frias e distantes pingas de cada choro disfarçado de chuva. Onde ficamos? Onde fomos? Onde me perdes-te? Onde me deixas-te ir sem o teu jogo de cintura. Sem o teu berço que me acolhia. Sem o teu perfume que me envolvia. Onde ficou a réstia de esperança? Não te amo menos. E tu lutas. E lutas. E lutas. Lutas. E o que fazer? Diz algo mas não sei se quero ouvir. Estou a desistir. A fugir. A desistir. 

5 comentários:

Sentimentos Incontrolados disse...

Se ele luta porque não dares uma oportunidade?

Sentimentos Incontrolados disse...

Pois, assim é difícil :s
O que tens a fazer então é seguires com a tua vida para a frente e afastares te.

Sentimentos Incontrolados disse...

Fazes bem! Força :)

Ana Ferreira disse...

Finalmente te encontrei de novo! E que saudades que tinha de te ler!

Ísis disse...

Se valer a pena nunca, nunca desistas.