missing

Naquela casa, tudo ficou como tu deixaste. O gosto amargo do adeus, adeus que não foi dito. E que permanecerá sempre no coração. Uma alma nunca esquece um adeus que nunca foi dito. O adeus que nunca foi prenunciado, o adeus que se foi. A oportunidade de uma despedida, que eu pensei um dia que fosse possível. Com forma de uma carta velhinha! 
Ficou a lembrança triste de ti. O vazio dentro de mim, a lágrima esquecida, que o vento se encarregou de secar. Ficaram as palavras por dizer, os gestos por ter, e as acções por fazer. Ficaram os momentos que nunca serão vividos. Ficou um grito dentro de mim, só tu não ficaste. Ficou uma parte rasgada, meio corpo quebrado, meio chão, meio sangue. A vida é mesmo assim, mas, como esquecer tudo o que fizemos e o que foste para mim? Como esquecer que vou gostar sempre de ti? Na verdade, esquecer não é a palavra certa. Esquecer não. Manter tudo eterno num mundo à parte.
Ficou uma saudade louca dentro de mim, e eu não a posso suportar, sinto vontade de abraçar a morte e nela dormir o sono eterno, sinto vontade de gritar, de acabar com tudo, de me sufocar nessas palavras imbecis. Mas, a vida continua, e eu aqui para justificar a minha. Eu vivo, mas também ainda há quem viva por mim, e para me ajudar a manter viva.

4 comentários:

Pérola disse...

Tu é que tens de viver atua vida. O tempo passa depressa demais para não cuidarmos bem den ós.
Um beijinho.

Runaway disse...

Então? Isso anda mesmo mau... às vezes não é fácil, mas há que ter força e seguir em frente. Só temos esta vida para viver...
Bom fim de semana.

Pipo Santos disse...

Adorei, " Ficaram os momentos que nunca serão vividos. Ficou um grito dentro de mim, só tu não ficaste. " Muito profundo! Muito bom!

Parede Escrita disse...

Gostei muito (:
Obrigado, vou tentar ;p